Fortune Gems

Fechar Ads

Investir para receber dividendos: o que gosto de avaliar antes de comprar uma ação

Analisar criteriosamente as empresas é essencial em uma estratégia de investimento sólida e rentável no longo prazo, mas manter a disciplina – de aportes e reinvestimento – também é
Por  Tiago Reis
info_outline

Importante: os comentários e opiniões contidos neste texto são responsabilidade do autor e não necessariamente refletem a opinião do Fortune Gems ou de seus controladores

Percebo que o interesse por parte do investidor pessoa física e de longo prazo pela estratégia de investimentos em ações pagadoras de dividendos cresce a cada ano. É fácil entender a razão, já que tal método –se é que se pode definir assim – oferece a possibilidade de ganhos com a valorização da ação e também com a distribuição periódica de lucros pela empresa.

Além disso, as ações de empresas que pagam dividendos costumam ter uma volatilidade abaixo da média do mercado, o que as torna uma alternativa de investimentos menos “desagradável” para aqueles investidores que se incomodam com o sobe e desce dos preços.

Dentre os principais setores que apresentam empresas com características de pagadoras de dividendos, não posso deixar de mencionar o setor bancário, um dos mais populares entre os investidores que buscam recorrência de distribuição.

Grandes bancos, como Itaú (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3), são reconhecidos como grandes pagadores de dividendos e têm históricos consistentes de distribuição de proventos.

Além disso, o setor bancário (embora seja bastante regulado) é importante para a economia e costuma ser menos afetado por crises financeiras, o que gera confiança entre os investidores. Ademais, também tende a se beneficiar do cenário de juros altos, como o que atravessamos neste momento.

Outro setor que costuma ser atrativo para os investidores em ações pagadoras de dividendos é o de energia, e aqui posso falar de empresas de geração, transmissão e também distribuição. Nomes como Taesa (TAEE11), Engie (EGIE3) e Energias do Brasil (ENBR3) são exemplos de empresas que pagam bons dividendos e possuem forte presença nestes segmentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Complementarmente, cabe aqui destacar que a demanda por energia é constante (para não dizer crescente) no mundo e, por isso, esse setor costuma ser considerado estável e seguro para os investidores fundamentalistas de longo prazo.

Outra característica comum de empresas do setor de energia é a regulamentação governamental, já que geração, transmissão e distribuição de energia são consideradas serviço público essencial.

O setor de saneamento também é interessante para investimentos em ações pagadoras de dividendos. Empresas como Sabesp (SBSP3), Sanepar (SAPR11) e Copasa (CSMG3) têm mostrado performances regulares em termos de pagamento de proventos.

Importante lembrar que tais empresas têm como objetivo oferecer o serviço de fornecimento e tratamento de água e esgoto para a população, o que as torna importantes para a sociedade e para a economia, num contexto geral.

Além desses setores, o mercado de commodities também pode ser uma opção para obter dividendos. Empresas como Vale (VALE3), Petrobras (PETR4) e Klabin (KLBN11) são exemplos de grandes empresas que costumam pagar proventos interessantes e possuem forte presença no mercado de commodities.

Esse mercado é influenciado por diversos fatores, como a demanda por materiais, os próprios preços das commodities, a situação econômica global, dentre outras condições macro – o que contribui diretamente para o caráter cíclico do setor, dinâmica que pode impactar na performance das ações ao longo do tempo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No mais, é importante destacar que, mesmo que uma empresa seja conhecida por pagar bons dividendos, não significa que o investimento será sempre rentável.

No processo de análise desse tipo de empresa, é fundamental avaliar alguns pontos importantes, tais como a sua lucratividade (é importante verificar se a empresa tem lucros consistentes e estáveis para garantir que possa continuar a pagar dividendos); o seu endividamento (empresas com alto endividamento podem vir a ter dificuldades financeiras, por isso é sempre importante verificar a alavancagem da empresa e compará-la com o setor); e as perspectivas de crescimento a longo prazo, a fim de garantir que ela possa continuar a pagar dividendos no futuro.

Em resumo, é importante considerar a saúde financeira da empresa, seu histórico de pagamentos de dividendos, sua capacidade de crescimento e suas perspectivas futuras antes de investir em ações com essas características.

Diante de tudo o que comentei aqui, resta uma conclusão: analisar de forma criteriosa as empresas pagadoras de dividendos é essencial para garantir uma estratégia de investimento sólida e rentável no longo prazo. Fazendo isso e mantendo a disciplina – tanto nos aportes como no reinvestimento dos dividendos –, com certeza os resultados de um investidor serão bastante positivos no longo prazo.

Tiago Reis Fundador da Suno Research e presidente do Conselho do Grupo Suno. Formado em Administração de Empresas pela FGV, trabalha no mercado de capitais e com análise de investimentos desde 2007. Foi sócio-fundador da Set Investimentos

Compartilhe

Mais de Tiago Reis

Fortune Gems Mapa do site