Fortune Gems

After Market

Via Varejo une negócios com Cnova; convocação na Oi para destituir conselho e resultados no radar

Confira os principais destaques corporativos da noite desta segunda-feira (8)

Por  Rodrigo Tolotti

SÃO PAULO – A semana começa agitada, com destaque para a temporada de resultados do segundo trimestre, que entra em seus últimos dias. Entre as companhais que apresentaram seus números na noite desta segunda-feira (8) estão a Smiles, Marcopolo e a Linx. Chama atenção ainda o noticiário envolvendo a Oi e a Via Varejo. Confira os destaques:

Via Varejo(VVAR11)
A Via Varejo e a Cnova anunciaram um acordo para combinação de seus negócios no Brasil, em uma operação que deve gerar milhões de reais em economias de custos logísticos e que acontece meses após a descoberta de fraudes na operação brasileira da Cnova. 

As empresas já tinham anunciado em maio intenção de combinarem suas operações no Brasil para simplificarem estrutura de governança e relações comerciais entre ambas, além da geração de sinergias.

Segundo a Via Varejo, que é controlada pelo Grupo Pão de Açúcar e opera lojas de móveis e eletrodomésticos pelo país, a combinação com as Cnova no Brasil, focada em comércio eletrônico, vai gerar sinergias recorrentes de R$ 245 milhões por ano a partir de 2017. Além disso, há expectativa de geração de economias de R$ 325 milhões até o final deste ano.

Oi(OIBR4)
A Société Mondiale convocou uma assembleia geral extraordinária de acionistas da Oi para o dia 8 de setembro. A dona de ações equivalentes 6,18% do capital da operadora de telecomunicações, que está em recuperação judicial, propõe que os acionistas da companhia destituam do Conselho de Administração da Oi os membros: Rafael Luís Mora Funes, João Manuel Pisco de Castro, Luís Maria Viana Palha da Silva, Pedro Zañartu Gubert Morais Leitão e Marcos Grodetzky, além dos respectivos suplentes.

Com isso, a Société quer que sejam eleitos para essas posições Helio Costa, ex-ministro das Comunicações, Demian Fiocca, Durval Soledade Santos, Pedro Grossi Junior, José Vicente dos Santos, Leo Julian Simpson, Jonathan Dann e Marcelo Itagiba.

Masterclass
As Ações mais Promissoras da Bolsa
Baixe uma lista de 10 ações de Small Caps que, na opinião dos especialistas, possuem potencial de valorização para os próximos meses e anos, e assista a uma aula gratuita

A Société Mondiale defende ainda que a AGE anule a decisão de outra assembleia realizada em março do ano passado, que aprovou um acordo da Oi com a Portugal Telecom SGPS (atual Pharol), além de ações de responsabilidade contra executivos, avaliadores e acionistas que possam ter provocado prejuízos à companhia.

Smiles(SMLE3)
A companhia de programa de milhagens viu seu lucro líquido subir 38,2% em um ano passando de R$ 89,4 milhões para R$ 123,6 milhões no segundo trimestre de 2016. Já a receita líquida subiu 27%, fechando o período em R$ 349,8 milhões, enquanto o lucro operacional da empresa ficou em R$ 128,1 milhões, um avanço de 37,7% sobre o mesmo período do ano passado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Smiles viu um acúmulo 0,9% maior de milhas, que subiram de 13,1 bilhões entre abril e junho de 2015 para atuais 13,2 bilhões. Enquanto isso, o resgate destas milhas passou de 9,5 bilhões para 10,2 bilhões, o que representa uma alta de 7,9%. 

Marcopolo(POMO4)
A Marcopolo encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 43,3 milhões, uma alta de 16,7% ante os R$ 37,1 milhões do mesmo período do ano passado. Já a receita operacional líquida da companhia recuou 2,6%, para R$ 619,7 milhões, enquanto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês), caiu 6,1%, em R$ 46,1 milhões. A margem Ebitda foi de 7,4%, diminuição de 0,3 ponto porcentual ante o segundo trimestre do ano passado.

“O destaque do trimestre foi a receita das exportações a partir do Brasil, que cresceu 78,4% e 22,7% respectivamente no segundo trimestre e no primeiro semestre do ano. Esse crescimento é reflexo do aumento das vendas físicas ao exterior em 63,4% no segundo trimestre de 2016 e 32,0% no primeiro semestre e da desvalorização do real em relação ao dólar americano”, informou a empresa no demonstrativo dos resultados.

O resultado financeiro líquido do trimestre foi positivo em R$ 32,5 milhões, ante os R$ 2,5 milhões também positivos registrados de abril a junho do ano passado. “Esse resultado é em grande parte oriundo da receita de variação cambial do real frente ao dólar americano, que somou R$ 23,0 milhões, e de rendimentos das aplicações financeiras”, destacou a companhia.

Linx(LINX3)
A Linx encerrou o segundo trimestre com receita operacional líquida de R$ 122,4 milhões, o que representa um crescimento de 12,5% em comparação aos R$ 108,8 milhões de um ano antes. Já o lucro líquido da companhia ficou em R$ 17,50 milhões, um ganho de 12% sobre o mesmo período do ano passado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No segundo trimestre, a receita recorrente atingiu R$ 117,8 milhões, com crescimento de 19,2% sobre o ano anterior, e equivalente a 83% da receita bruta. A companhia destacou que os rendimentos com soluções em nuvem já representam quase 50% da receita recorrente e seguem crescendo acima da média. O Ebitda da empresa foi de R$ 32 milhões, 7,9% acima do valor obtido no segundo trimestre de 2015, enquanto a margem Ebitda de abril a junho ficou em 26,1%.

Newsletter
Infomorning
Receba no seu e-mail logo pela manhã as notícias que vão mexer com os mercados, com os seus investimentos e o seu bolso durante o dia
Compartilhe
Fortune Gems Mapa do site