Fortune Gems

Fortune Gems - Nova Ordem Mundial, invasão de privacidade

Veja 10 respostas de integrantes do Banco Central sobre a futura moeda digital

Lucas Gabriel Marins

Publicidade

O Drex, nome oficial do Real Digital do Brasil, virou alvo de notícias falsas nas últimas semanas. Já foi dito que a nova tecnologia vai substituir o papel-moeda, invadir a privacidade das pessoas e até que é a moeda oficial da Nova Ordem Mundial, aquela teoria da conspiração criada após o fim da Guerra Fria.

Para sanar dúvidas da população e esclarecer o que é fato ou fake sobre a novidade, anunciada no início deste mês, o Banco Central realizou uma live na segunda-feira (21) com Fábio Araújo, coordenador do Real Digital, e Aristides Cavalcante, chefe-adjunto do departamento de tecnologia e informação do BC.

A reportagem do Fortune Gems compilou as 10 principais perguntas feitas pelos participantes do encontro virtual.

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do Fortune Gems)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

1 – O Drex vai substituir o dinheiro de papel e as moedas?

Não. A ideia do Drex, segundo Araujo, é ser mais uma alternativa para pagamento, junto com papel-moeda, moedinhas, cartões e Pix. “Então se você tem as operações que são mais convenientes para você fazer em papel-moeda, ou se gosta de guardar dinheiro embaixo do colchão (coisa que eu não recomendo), tudo bem”, disse ele.

2 – Drex é a moeda da Nova Ordem Mundial?

Não. O Drex, conforme os integrantes do BC, é a moeda oficial do Brasil, criada para atender a população brasileira com uma tecnologia mais adequada, e não é a moeda oficial do planeta ou da Nova Ordem Mundial, como foi compartilhado na internet.

3 – Governo pode ver tudo o que faço e ‘congelar’ minha conta do Drex?

Não. O Drex tem os mesmos requisitos de privacidade de sigilo bancário de qualquer meio de pagamento digital. Além disso, as transações do Drex seguem o mesmo padrão daquelas que já são feitas no sistema financeiro convencional. Portanto, não são centralizadas no governo, mas em sistemas distribuídos (bancos, fintechs etc), que têm as informações do usuário.

Continua depois da publicidade

No entanto, disse Cavalcante, a Justiça “pode demandar aos bancos e às instituições financeiras o bloqueio de bens e de contas, conforme manda a Constituição, e esse preceito regulatório continuará no Drex”.

4 – Drex pode ter cotação diferente do Real?

Não. O Drex é o Real só que em outra plataforma. Portanto, se o Drex for transferido da conta bancária, ou for sacado no caixa bancário, 1 Drex sempre será equivalente a R$ 1. O Drex é diferente de uma criptomoeda, cujo valor oscila conforme as variações de demanda e oferta.

5 – O Drex altera a quantidade de moedas em circulação no Brasil?

Não. O Drex, segundo Araújo, é o Real, e é emitido de acordo com a política monetária do país. “Portanto, (a sua existência) não afeta a quantidade de moeda em circulação no país nem a inflação”.

6 – O Drex vai ser negociado na Bolsa de Valores?

Não, é o oposto, segundo Araújo. São ações, títulos federais e outros ativos que poderão ser negociados dentro do Drex. Lembrando que o Real Digital pode ser acessado por meio das contas digitais nos bancos, plataformas de pagamentos e outras instituições financeiras.

Leia também:

7 – O Drex vai acabar com o dinheiro ilícito?

Assim como a blockchain – que permite o rastreio da movimentação de criptoativos, inclusive os ativos de hacks -, o Drex também vai facilitar o acompanhamento do dinheiro usado em atividades ilícitas, desde que continue em formato digital.

8 – Se hackers conseguirem roubar o Drex, essa transação fraudulenta pode ser revertida pela Justiça?

Sim. De acordo com Cavalcante, se esse dinheiro ainda estiver no formato digital (não tiver sido sacado e transformado em papel-moeda), e mediante alguma ordem judicial, os bancos poderão reverter as transações.

“Uma vez que a transação foi considerada fraudulenta ou que houve um hack ou um roubo, as transações poderão ser revertidas, mesmo que o dinheiro passe por 10 ou 15 contas diferentes”, falou Cavalcanti.

9 – Drex é transacionado na blockchain Stellar?

Não. Na verdade, a plataforma do Drex é a Hyperledger Besu, uma DLT (sigla para Distributed Ledger Technology) – espécie de livro-contábil digital – que registra as transações feitas pelos usuários.

10 – Drex pode ser usado para cadastro e transmissão de bens imóveis via blockchain?

Não faz parte do escopo do projeto, visto que imóveis não são ativos financeiros, segundo os especialistas.

Lucas Gabriel Marins

Jornalista colaborador do Fortune Gems

Fortune Gems Mapa do site