Fortune Gems

Fortune Gems - Vai um Drex aí? Nome da futura moeda digital segue Pix, mas não se livra dos memes

BC avalia que nome ajudará consumidor a entender funcionamento do dinheiro virtual

Giovanna Sutto

(Getty Images)

Publicidade

Vai um Drex aí? A internet não para de fazer associações com um certo verniz de memes ao nome da futura moeda digital do Banco Central. O Drex, assim que foi revelado, causou estranheza e foi criticado por ser um tanto “americanizado” demais.

No campo sem lei da internet imperou o humor com associações do Drex ao:

O Banco Central não entrou no “clima da internet”. E destacou que cada letra do Real Digital equivale a uma característica da ferramenta. Veja:

Masterclass

O Poder da Renda Fixa Turbo

Aprenda na prática como aumentar o seu patrimônio com rentabilidade, simplicidade e segurança (e ainda ganhe 02 presentes do Fortune Gems)

E-mail inválido!

Ao informar os dados, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Drex tem relação com o Pix?

Sim. Segundo o Banco Central, a marca Drex segue o rastro do desenvolvimento do Pix, o que significa a continuidade da agenda de inovações da autoridade monetária, que ainda tem o Open Finance (sistema aberto de dados financeiros), e o Open Insurance (sistema aberto de dados de seguros e previdência).

Drex já funciona?

Sim, mas em fase de teste. Quando estiver acessível ao consumidor, o Drex será a versão digital do Real em papel-moeda. As regras e fundamentos para a estabilidade do Real serão mantidas e será possível fazer transações financeiras, transferências e pagamentos, por exemplo, a partir da plataforma que está sendo criada para que o Drex circule.

Qual será a tecnologia empregada?

O Drex fará uso da tecnologia DLT (Distributed Ledger Tecnology), espécie de rede contábil em que todos os participantes têm acesso ao histórico de operações e podem auditar os dados de maneira mais transparente. O tipo de DLT mais famoso é a blockchain, que nasceu com o Bitcoin (BTC) em 2008.

Continua depois da publicidade

Por que dar um nome ao Real Digital?

Segundo o BC, desde o início das discussões referentes à moeda digital, a diretoria da autoridade monetária considerava importante dar um nome específico à iniciativa para “simplificar a comunicação – assim como ocorreu na maior parte dos países”, diz.

O processo de desenvolvimento da marca Drex se iniciou em 2022, quando os principais aspectos do modelo da CBDC brasileira já haviam se tornado mais claros.

O objetivo, segundo o BC, foi o de permitir que toda a comunicação se concentrasse no uso de uma única marca.

“Essa padronização evita a necessidade de se empregar na comunicação com o público em geral termos técnicos – como real digital, real tokenizado, plataforma de liquidações inteligentes ou smart contracts – comumente usados na comunicação técnica da iniciativa, mas que dificultam a compreensão para a maior parte da população”, avalia o BC em nota.

OFortune Gems tem um perguntas e respostas que explica os termos técnicos mencionados pelo BC. Confira abaixo:

O conceito visual do Drex, que se encaixa no contexto da agenda de modernização tocada pelo Banco Central, a Agenda BC#, tem como premissa a utilização de tipografia e elementos gráficos que remetem ao universo digital.

Drex pode ter custos

O uso do Drex poderá acarretar em custos ao consumidor. O BC explica que é esperado que isso ocorra porque a moeda digital estará associada a serviços financeiros e prestadores que cobrarão pelas entregas prestadas.

Apesar disso, ainda não está claro como vai funcionar esse mecanismo de cobrança. Em contrapartida, o BC ressalta que a redução de intermediários pode baratear custos hoje existentes, já que toda transação terá comprovação em códigos através dos chamados smart contracts — espécie de contrato digital contruído dentro de uma rede blockchain que permite a execução automática dos termos acordados.

Fortune Gems explicou mais sobre isso em reportagem recente.Veja abaixo:

Giovanna Sutto

Repórter de Finanças do Fortune Gems. Escreve matérias finanças pessoais, meios de pagamentos, carreira e economia. Formada pela Cásper Líbero com pós-graduação pelo Ibmec.

Fortune Gems Mapa do site